congresso_solto-07.png

CONGRESSO INTERNACIONAL DE ANTROPOLOGIA DE IBERO-AMÉRICA

O Congresso Internacional de Antropologia Ibero-americana (CIAI) começou a ser realizado há mais de duas décadas, no início organizado por um pequeno grupo de antropólogos da Universidade de Salamanca e do Instituto de Pesquisas Antropológicas de Castela e Leão, com o intuito de promover um espaço vocacionado para o diálogo e debate académico internacional e, especialmente, ibero-americano. 

Desde a sua primeira edição, em outubro de 1995, na Universidade de Salamanca, foram tratadas temáticas gerais da Antropologia na Península Ibérica e na América Latina, linhas de investigação etnológicas e transdisciplinares (nas áreas da comunicação, política, sociologia, educação, ou cooperação) que irão integrar os objetos de estudo dos seguintes congressos, com o contributo de um número cada vez maior de investigadores ibero-americanos, oriundos de mais de duzentas instituições de ensino superior. Os temas abordados nesses congressos foram os seguintes:
 

- Religiosidades Populares (1997);
- Antropologia Visual (1998);
- Cronistas das Índias (1999 e 2001);
- Fronteiras (2000);
- Emigração e Integração Cultural (2002);
- Família, Educação e Diversidade Cultural (2003);
- Poder, Política e Cultura (2004);
- Conflito e Cooperação (2005);
- Conhecimento Local, Comunicação e Interculturalidade (2006);
- Turismo, Cultura e Desenvolvimento (2007);
- Antropologia Aplicada (2008);
- Inovação Cultural, Património e Educação (2008);
- Estudos Socioculturais no Brasil e na Espanha (2009);
- Culturas Ibéricas e Mestiçagem na América, na África e no Oriente (2010);
- Contenção e Esbanjamento (2011);
- Estética, Cultura e Poder (2012);
- Representações, Rituais e Imaginários Religiosos e Profanos (2012);
- Corpo, Espaço e Cultura na era das expectativas expandidas (2014);
- Educação, Ecoturismo e Cultura. Desafios de um Mundo Globalizado (2015);
- Religião, Tolerância e Educação Intercultural (2016);
- Diálogo Intercultural: Religiosidades Culturais, Músicas e Migrações (2017);
- Museus, Turismo e Património (2019);
- Identidades, História e Cultura (2020).

 
As matérias abordadas, inovadoras à época, foram levadas a cabo por investigadores, professores, doutorandos e mestrandos dos Programas Interuniversitários de Antropologia da Ibero-americana.
O Congresso, veículo extraordinário de partilha e difusão de conhecimentos associados às ciências sociais e humanas, assume a publicação das suas atas (em formato físico e digital) como seu legado intelectual mais importante e valioso. Algumas das publicações só foram possíveis devido ao apoio de diversas entidades como o Instituto de Investigações Antropológicas de Castela e Leão, a Universidade de Salamanca, a Diputación Provincial de Salamanca, a Fundação Joaquim Nabuco do Recife e a Sociedade Ibero-americana de Antropologia Aplicada.